Páginas

21 outubro 2010

Os anos 50 está na moda

titulo anos 50

A década de 50, fez surgir de forma gradual, o renascimento das indústrias de roupa e uma grande busca por trajes elegantes e suntuosos. Natural, período pós guerra, onde se vinha de total rigidez e escassez de tudo, da comida e de uma variedade de bens de consumo. Mesmo durante a guerra, a Europa, melhor dizendo a França, manteve a moda com austeridade e criatividade e com isso todo o setor profissional deste ramo sobreviveu. Houve até racionamento de tecido, permitindo somente quatro metros para um mantô e um metro para um vestido chemisier. Com todo esse rigor, fez nascer na Paris ocupada, novas maisons como: Jacques Fath, Nina Ricci, Marcel Rochas, Robert Piguet são alguns que não deixaram que o horror da guerra impedisse o Savoir-faire.

Já os norte Americanos não passaram por tantas privações já que a guerra não foi travada em seu território, consagrou o ready-to-wear, suas lojas de departamento como a bergdorf e Goodman vendiam por catálogo onde estrelas de cinema eram as top model do momento como Gloria Swanson e Joan Crawford, e as entrega eram feitas rapidamente. a sociedade tinha pressa para consumir, também com tantas novidades em diversos setores,tudo para facilitar, melhorar e modernizar a vida das pessoas. as donas de casa adoraram. Os executivos das lojas de departamento americano, visitavam Paris em busca de novos modelos e da alta costura que era consumido pelas americanas endinheiradas.cats Foi nesta época que com a crise do final da guerra, os Estados Unidos passaram a cobrar 90% de impostos sobre roupas importadas, em diante, só franquias de telas moldes (modelagens) levando com isso o fortalecimento da fabricação em massa, surgimento de confecções e se introduz os materiais sintéticos que antes eram vistos como indignos para o vestuário. Se o sportswear não foi inventado pelos americanos pelo menos eles colocaram esta categoria em evidência. Surgiram também os conjuntos, peças intercambiáveis, proporcionando a mulher liberdade para a coordenação das peças.

Estamos em 1950, época de transição pós-guerra e o período de mudanças e revolução comportamentais e tecnológicas. Se estabelece regras para um novo jogo e a moda não ficará de fora dessas mudanças. consumados pelo impulso da guerra, os avanços tecnológicos vêm trazer facilidades e eficiência no campo doméstico, habitacional, nas comunicações (rádio, televisão, cinema), têxtil (surgimento das fibras sintéticas), como o náilon que, de tecido de pára-quedas passa a serem usados na confecção de lingerie e malhas. a vida volta a brilhar, bailes, grandes eventos, lugares exclusivos voltam a abrir suas portas, a Europa ressurge, a vida social estava agitada e com isso, uma pessoa se destacou que foi Christian Dior, atento a essa nova inquietação da sociedade, cria o New look. Foi a toda poderosa redatora da Vogue americana, Carmel Snow que diante da elegância vista por ela no desfile de Dior falou:…”This is a new look…”, então a expressão pegou e a nova já tinha um nome. New Look!download (3).jpg-new look Opulência de materiais, cintura justa, muitas saias rodadas indo até a barriga da perna, chapéus, luvas e salto alto e tudo isso nada mais é que uma releitura de uma época, 1860, época Vitoriana. As saias eram pregueadas, franzidas, drapeadas e enviesadas, muito pano e ainda forradas para ficarem bem armadas. O new Look era o oposto das roupas econômicas do período da guerra, onde Para se confeccionar um vestido, usava-se em torno de 6 a 9 metros de tecido, as bainhas das saias com 8 metros em média de roda! A câmara de comércio Britânica e outros órgãos e até mesmo algumas facções da sociedade Européia e Americana, consideraram esta moda frívola e causadora de desperdícios de tecidos, mas, muitas mulheres adoraram e aderiram também, o uso de uma cinta, a “vespa”, para que a cintura se adequasse ao new Look. Christian Dior (1905-1957), teve seu reinado iniciado em 1947, sua marca se estabeleceu em 1955 e perdura até os nossos dias sem jamais se abalar por um mal momento. Dior introduziu muitas inovações em suas coleções como Envol (decolagem) em 1948, 1950- encurtou as saias, 1952-criou conjunto de 3 peças, 1955-linha A e Y, linha princesa e a famosa  " Sahariènne ". Atualmente quem comanda sua Maison é nada mais nada menos que John Galliano.

-dior

Havia, de forma generalizada um desejo de satisfazer os impulsos reprimido da guerra. Houve um surgimento cultural muito forte, o cinema fez surgir estrelas como Brigitte Bardot, com seu jeito sexy e desinibido, ficou popular. Edith Piaf, Lauren Bacall, Humphrey Bogart, Marilyn Monroe, Rita Hayworth…Um céu de estrelas espalhadas pelos quatro cantos do mundo, era o cinema, e os grandes estilistas da época, tinham essas celebridades como fonte de inspiração e com isso, as não estrelas, as moças e senhoras anônimas, vestiam-se de glamour para terem também seus momentos de glória

Em 1952, surgiu Pierre Balmain, arquiteto, adepto de new look junto com Dior, fez da mulher parisiense um ícone da elegância. foi também um dos precursores do prêt-a-porter. Outros como Norman Norell, Roger Vivier, Cristobal Balenciaga, criador do estilo império, cintura alta para vestidos e corte quimono para mantôs. Hubert de Givenchy, fez sucesso com os " separáveis ": Peças que podiam ser combinadas a vontade e foi com um vestido pretinho usado por Audrey Hepburn em " Breakfast at Tiffany`s que o levou a glória. Chanel, retorna em 1954, após estar desde 1939 em silencio a espera de sua volta triunfal. mesmo com mais de 70 anos, mademoiselle aposta alto e apresenta o famoso Tailleur, correntes de ouro, blusas combinadas com o forro do casaco, botões com iniciais, tweeds macios, jóias-fantasias cintilantes, lenços de seda, bolsa tiracolo em martelasse e o escarpin bege com ponta escura, enfim, toda uma concepção que será mundialmente copiada, adotada, desvirtuada por todas as mulheres até os dias de hoje, após sua morte, a Maison Chanel, voltou a ser uma das mais influentes e poderosas de Parisdownload (3).jpg-chanel

Pierre Cardin, com o seu futurismo, inicia sua trajetória com os anos 50, fez com que o luxo contemporâneo tornar-se accessível para um numero maior de pessoas. Passou pela Maison de Paquin e depois por Christian Dior sendo também pioneiro em contratos de licença e propagador de artigos: Perfumes, óculos, sapatos…que ajudaram a propagar a grife pelo mundo até os nossos dias. 

Outros tantos surgem com suas maisons menores, mas nem por isso menos importante como é o caso de Guy Laroche, Carven, Line Vautrin, Lola Prussac, maisons essas que se pode dizer foram as precursoras das " butiques ", dessa maneira ocupavam um modesto lugar mas excepcionalmente criativos e naquela época havia lugar para todos e uns complementavam o outro.

Enfim, foi necessário duas guerras e suas consequências para que a partir dos anos 50 surja a mais profunda transformação que a história da moda já conheceu. Ela permitirá que o povo tenha acesso as criações do momento (tendências). A libertação vem para redistribuir as cartas, será através da moda, e na rua que as mudanças irão acontecer, principalmente para aquele público que até então não era levado em conta: a juventude. A moda para este grupo de consumidores estava até então atrelado aos mais velhos, estava na hora de mudar. Eles não se vestiam nos grandes salões, há que se criar não só moda para eles como outros bens de consumo especialmente voltado para eles, filhos do baby boom, farão surgir música, maneiras e aparências diferentes do já estabelecido. Foram os Norte Americanos que realmente soube captar os anseios desses jovensjuventude

Na década de 50 os jovens tinham mania por cardigãs de cashemira e lã as saias eram rodadas de feltro e com estampas chamativas, usavam anáguas, os adolescentes usavam meias soquete, sapatos Oxford (azul marinho com  branco ou marrom com branco), cabelos em rabo de cavalo, o jeans surge junto com a t-shirt, onda rebelde que começa com a idolatria ao ídolo James Dean, pelo cantor Elvis Presley e com isso se popularizou o uso das jaquetas de couro, cabelo engomado, costeletas e topetes

Não podemos esquecer que à partir dos anos 50 a televisão passou a influenciar muito a moda e a vida familiar, as mulheres usavam este meio de comunicação para copiar os modelos das atrizes e cantoras. Os anos 50, viveu o apogeu da alta costura, foi a época mais glamorosa e sofisticada de todas. Foi o momento da beleza, da revolução comportamental, a sociedade sofreu grandes mudanças, a economia, as artes, a música, a mulher se tornou mais feminina e jovial, a maquiagem estava no auge e o olhar era extremadamente valorizado, a palidez da pele era cultuada, como uma porcelana. surgiram as tintas de cabelo, produtos para alisamento e fixadores. Os penteados podiam ir dos coques ao rabo-de-cavalo. o cabelo curto também estava na moda, com mechas caindo no rosto e franjas para dar um ar de menina.belezaDois estilos caracterizaram esta época, a mulher ingênua chique ( Grace Kelly e Audrey Hepburn ) e a sensual, fatal, diva ( Rita Hayworth e Ava Gardner ) e sem falar do estilo Pin-Up americana, loiras, seios fartos, verdadeiras divas e esse estilo foi bem caracterizado por Marilyn Monroe e Brigitte Bardot, acrescente-se a isso uma dose de ingenuidade e sensualidade.

A economia nesta época não ia mal, a sociedade tinha muito desejo por consumir e o momento era favorável porque havia muitas novidades a serem compradas. Os Estados Unidos, naquele momento aproveitou e  cresceu suas confecções, os estilistas diversificaram seus produtos através de licenças, sendo assim muitos produtos se tornaram símbolos do que havia de mais chique: lenço de seda Hermés, Chanel numero 5 e muitas outras coisas, Pierre Cardin que o diga. E se aproximando dos anos 60, aparece a juventude inquieta, rebelde, do sportswear, surgiu a moda colegial, as meninas com suas saias rodadas, calças cigarretes, sapatos baixos, suéter e jeans. E é nesta época que começa a soberania  dos jeans e da t-shirt, eternos! Geração Rock`n Roll, os beatniks que eram os esquerdistas que lutavam contra os padrões estabelecidos e conservadores da sociedade.

Vamos combinar, foi ou não foi uma época par ser sempre lembrada como raiz, formadora e libertadora…Realmente à partir dos anos 50, o mundo não foi mais o mesmo, pelo menos para a moda, não foi. Você o que acha? Deixe seu comentário.

Nenhum comentário: